Google+ PIRATAS!!! - Cap. 390 | A Pirâmide de Kukúlkan

O último reduto onde os Asseclas do CONCLAVE encontram-se...

PIRATAS!!! - Cap. 390

Súbito, sente algo
quedar-lhe a sobre cabeça.
Olha para cima
e seus olhos se iluminam:
era a corda salvadora!
Rápido como Onça
atrás de rum
sobe por ela e
ao aproximar-se da amurada
uma mão amiga lhe é estendida.
― Plunkett, seu irlandês safado,
eu ti amo! – exclama
agradecido o timoneiro.
― Deixe seu amor
para as sirigaitas, francês!
Ainda temos que dar um jeito
de descer este navio
e sem arrebentá-lo!
Após estar novamente
com os pés firmemente
apoiado no tombadilho
Pierre respira fundo
e com ares de quem teve
um pensamento genial revela:
― Essa loucura toda
me deu uma ideia.
Aquela fumaça é explosiva
ou inflamável?
― Até onde sei
nem uma coisa nem outra...
Responde hesitante, já temendo
pela proposta que virá...
― Ótimo! Tenho um plano.
Exulta-se o francês
esfregando as mãos
de modo maquiavélico!
Plunkett revira os olhos
e contrapõe no mesmo instante:
― Já ouvi isso antes
e olhe aonde viemos parar...
Fazendo pouco caso,
Pierre o admoesta:
― Homem de... – mas sequer
termina o ditado,
pois o contramestre demonstra
que sua paciência
estava no fundo do barril!
― Pouca fé! Já sei, já sei...
Mas não será minha fé
que irá nos tirar dessa!
Diga de uma vez,
o que se passa por essa
tua cabeça desazada!
Vendo que a fim de obter
boa vontade de seu colaborador
teria de se explicar melhor,
o timoneiro estaca
e explana.
― Primeiro afastaremos o barril.
Não precisamos de mais fumeiro
do que já temos.
― Quanto a isso fique tranquilo,
ele já apagou.
― Melhor. Também teremos
de reposicionar um dos canhões...
O irlandês arregala os olhos...
― Quer explodir essa coisa?
Enlouquecestes de vez!
Ao Pierre urgia evitar
o mal entendido.
― Não Plunkett! O ar quente
escapará por ali e
desceremos suavemente!
O pirata não se mostra
muito convencido,
aquilo soava estapafúrdio
como pôr um navio
entre as nuvens...
― Suavemente será
o sabre de Sangre a declinar
sobre nossos pescoços
se destroçarmos o navio dele!
Pense bem homem:
um tiro direto irá varar
o “saco de vento”
de um lado a outro!
Esvaziará tão rápido
que iremos qual uma âncora
de encontro aos recifes
abaixo de nós!
O timoneiro estava enrascado:
convencer o amigo era crucial,
pois sem seu auxílio tudo iria
(literalmente) por água abaixo!
― Sei disso! E tenho solução
pra isso também!
Vendo o desespero do companheiro,
Plunket cede e sacudindo a cabeça 
desconsoladamente finaliza:
― É bom que funcione ou então...
E passando o dedo
ao longo da garganta
faz aquele som característico.
O francês engole em seco.
Saem dali, arrastam
um dos canhões de estibordo,
viram-no para cima
e Pierre ajusta a mira
cuidadosamente.


A bordo d'El Bravio de Los Mares...


...Pierre já lamentava sua ideia quando
sente sobre a cabeça o impacto de sua salvação... 


...e não tarda  a escalar a grinalda
em retorno ao tombadilho!


A salvo(!?) tenta convencer o contramestre
a ajudá-lo em seu plano para descer o navio...


...mas Plunkett acha tudo arriscado demais
e teme que literalmente a coisa toda
exploda na cara deles...


...desabem sobre os recifes...


...e sob a luz da Lua encontrem
suas derradeiras moradas
no fundo do oceano!



Sidinei Lander da Silva Pereira: Mestre de RPG, aprendiz de escritor, leitor voraz, quadrinista fanático, cinéfilo compulsivo, agnóstico independente, livre-pensador, fã incondicional de O Senhor dos Anéis (livro e filme), música para mim é Clássica, Jazz, Blues, Rock'n Roll e Metal! E tenho dois gatos... Quer saber mais sobre mim? Veja meu perfil no Google Plus!

0 comentários:

Postar um comentário

Atreva-se, diga-me o que está pensando!
Se veio até aqui, não recue!
Se és contra, a favor ou muito pelo contrário(?!),
tanto faz...
Afinal, esta é uma tribuna livre.
E uma certeza podes ter como absoluta:

RESPOSTA TU TERÁS!!!!!!