Google+ Junho 2007 | A Pirâmide de Kukúlkan

O último reduto onde os Asseclas do CONCLAVE encontram-se...

Crítica mordaz, Resposta atroz...

Mais uma vez meu amigo Michel extrapola na generalização. Seu comentário foi tão impertinente que mereceu não outro comentário em resposta, mas um novo post. Eis-o! Vamos por partes, como sempre digo.

Primeiro: Hollywood não filma só b... como ele tão eloqüentemente disse, muito ao avesso disso! Da mesma forma que qualquer outra grande indústria cultural (que basicamente visa o lucro através da comercialização/exposição daquilo que ela determina como Arte) Hollywood (assim como Bollywood na Índia, a antiga Cinelândia no Brasil e por aí vai) comete seus pecados, mas também tem suas virtudes, qualquer ser humano que haja tido o deleite de sentar-se na sala escura perante o écran tem pelo menos um título que lhe vem à mente e que ele considere uma obra impecável! É uma resposta emocional? É. Mas esse é justamente o objetivo do Cinema: obter uma resposta emocional. Seja ela positiva (como o é na maioria dos casos, haja vista o sucesso da indústria cinematográfica) ou negativa (como é o caso do meu amigo Michel em 99,99% dos casos...) e até onde se sabe ninguém (fora uma minoria intelectualóide) vai ao cinema para se informar ou procurar substratos para tornar-se uma pessoa melhor (se bem que o sucesso do pseudofilme de auto-ajuda “O Segredo” pode colocar esse ponto em discussão, mas deixemos isto de lado por um momento), as pessoas vão ao cinema para se divertir! Basicamente, assim como quase tudo o mais na vida, cinema é ESCAPISMO! E nesse sentido ele é um dos produtos mais eficientes da indústria midiática/cultural. A partir do momento em que tentamos impor a algo/alguém a nossa única visão de como deveria ser, tolhemos tudo aquilo que aquilo/aquele poderia ser. E se tem algo que é realmente vasto (basta ver como são diferentes as concepções de cinemas em países diversos) é a expressão cinematográfica. Ela visa lucra? Sim. É errado? Vai da cabeça de cada um... Segundo: "Filmes de boa digestão" é o c...alho!!! Se fosse tão simples: tudo o que eles fizessem seria sucesso instantâneo! Feito miojo! E sinceramente: conheço muita gente que ODEIA miojo!!! Isso não quer dizer que o raio do miojo seja ruim, só que ele não é uma unanimidade! E eu ainda sou mais da opinião do Nélson Rodrigues: “Toda unanimidade é burra!”. O cara foi tão ladino quando lançou essa pérola que até quando alguém discorda dela, acaba reforçando o argumento do sujeito!
Hummm, deve de ser um mime... Alguns filmes agradam verdadeiras multidões, já parou para pensar o porquê? Por que algo neles fala diretamente a uma parte que é comum a cada um de nós, isso é tão verdade, que até quando alguém não gosta de um filme que é um sucesso estrondoso, essa pessoa não consegue ficar indiferente, ela expõe sua opinião (normalmente muito bem embasada em sua própria concepção) de o porquê daquele filme ser uma “bomba”. Seja ele ou não! Tristemente este argumento aplica-se em todas as esferas da Cultura, incluindo a música, mas não vou tocar nesse assunto agora ou do contrário irei me alongar mais do que desejo. Terceiro: “massas alienadas de Harry Potters e Senhors (sic!) dos Anéis”. Passado o primeiro impacto do estupro gramatical, vamos adiante: Alienante em que sentido? Cinema é escapismo e nesse ponto Potter é exato em sua súmula de: Fantasia, Infância, Luta do Bem contra o Mal, Crescimento e Provação. Diga-me, esquecendo o filme de que falamos anteriormente por um breve instante, quantas estórias tem como base EXATAMENTE estes mesmos argumentos. Esquece! Citemos autores: Charles Dickens, Shakespeare, Proust e nem vou falar dos gregos... E até onde eu si nenhum desses autores foi acusado de ser alienante. Não querendo comparar J.K.Roling com qualquer Deus da Literatura, muito longe disso – ela própria afirma estar anos-luz dos velhos mestres e longe de eu querer defender a série de Potter (tanto os livros como os filmes), mas discordo de qualquer forma de generalização, ainda mais quando seus argumentos mostram-se tão... frágeis! E não esqueçamos duas coisas: a série fez algo que os antigos mestres – por superior que fosse a qualidade de seus escritos e isso permanece inquestionável – não puderam: incentivou a leitura em meio ao público infante, uma parcela da sociedade viciada em Playstation, Bob Esponja e música de qualidade questionável (pra dizer o mínimo)! Só isso já é algo tão digno de louvor que faria a Sra. J.K.Roling merecedora de uma estátua em bronze na frente de cada livraria deste planeta! E segundo: a literatura dela é voltada ao público infanto-juvenil! Por que raios seria alienante? É precisamente a leitura adequada a faixa etária e se isso incutir o gosto pelo hábito da leitura em uma nova geração inteira, a medida de que eles crescerem naturalmente irão migrar para literaturas de outros tipos: romance histórico, ficção científica, novelas, contos, crônicas, alfarrábios, almanaques, bulas de remédio... Ahn esqueçam essa última parte! Resumindo: os novos leitores têm que partirem de algum lugar e se for de um livro de 200 páginas para outro de 300 e deste para um de 400, então, tem 100% do meu apoio!!!! E quanto a infeliz citação acerca de “O Senhor dos Anéis”, sinceramente, não mereceria sequer uma linha, MAS EU NÃO VOU DEIXAR PASSAR BARATO, VIU, MICHÉL???? Até o dia em que alguém chegar até mim e dizer na minha cara com argumentos sólidos como blocos de granito o que tanto os livros como os filmes tem de tão ruim a ponto de desaboná-los da maneira como colocastes, para mim, a meu ver, ainda não foi feito NENHUM filme superior ao SENHOR DOS ANÉIS desde que O RETORNO DO REI saiu de cartaz do último cinema em 2003! Em tempo: pela última vez:
NÃO FORAM TRÊS FILMES, ERA UM ÚNICO FILME EXIBIDO EM 3 PARTES!!! Lembrem-se: é humanamente impossível passar sentado 9 horas consecutivas em um cinema sem sofrer uma gangrena nas pernas e sair dali direto pro HPS para realizar uma amputação! Dupla!!! Então, Michel, dá um tempo!!!! Quarta: “A única salvação é o cinema alternativo europeu!” Bem, essa com certeza ganhou a versão virtual da Framboesa de Ouro para crítica cinematográfica! UM: Cinema alternativo existe em qualquer lugar, inclusive nos EUA, Tarantino começou assim, Sam Raimi, idem e praticamente TODOS os grandes cineastas fizeram algo que possa ser chamado de “alternativo” ou “não-comercial”. Tens que ver as tosquices que Peter Jackson filmou no início da carreira! DOIS: Salvação um ovo! O circuito alternativo (tanto o europeu como o de qualquer outra nacionalidade) produziu tantas bombas como o chamado “circuito comercial!” Na hora de fazer besteira, não importa a origem: todo mundo faz m...! Ou tu vais dizer-me que gostou de “A Leste de Bucareste”, “Hearts and Armour” (Duelos de Amor), Night Train to Venice (O Último Trem para Veneza) e por aí vai... Quinto: “Dobermann, grandioso filme francês!” Humm. Tudo bem, o filme é bom, mas é basicamente a história de um ladrão perseguido por um tira corrupto e tem a Mônica Belucci... É um filme com qualidades, mas não vejo no que ele seria TÃO diferente de dezenas de outros filmes policiais americanos, japoneses ou europeus que já assisti (e garanto: vi muitos, MESMO!!!). Basicamente, um filme de “polícia e ladrão” tão escapista como qualquer Potter ou Matrix da vida... Sexto: “Hollywood só produz est...” Mais uma generalização infeliz e contraditória, diga-se de passagem, pois “recuerdo” muito bem de teus filmes favoritos: Matrix (americano até a medula), Amnésia (seu diretor Christopher Nolan veio a filmar “Batman – Begins”), Os Suspeitos (significativo, Bryan Singer depois fez “X-Men – O Filme”). Escolhas interessantes: um blockbuster, o segundo entupido de prêmios, elogios da crítica e indicado à premiação da Academia e outro com dois Oscars! Hummm, pra quem alega detestar Hollywood, teu “guesto” está americanizadamente suspeito... De qualquer forma sempre é bom receber posts dos amigos! Até!

4F - A Crítica

Fomos assistir ao Quarteto Fantástico na sexta-feira, noite de estréia. Esperava uma sessão lotada (compramos as entradas já na quinta-feira). Por incrível que pareça, a sessão teve uma lotação totalmente “meia-boca”. Bom, primeira coisa que passa pela cabeça nessas horas é: o filme não é grande coisa!” Errado! É um bom filme (E NÃO, Michel, NÃO É FILME PRA SESSÃO DA TARDE DA TV GUAÍBA!!!!), está certo que não é uma pérola cinematográfica ou uma revelação da Sétima Arte, todavia, é um filme divertido, cumpre sua obrigação de ser um veículo de divulgação da Oitava Arte (os Quadrinhos) e é relativamente superior ao primeiro, tanto em enredo como em ação. Porém... O ator que interpreta(?) o Doutor Destino (Doctor Doom para os íntimos) continua tão canastrão de doer como no primeiro filme e pra piorar permaneceu inferior tanto em Poder como em Inteligência (na boa, já vi players terem atitudes mais espertas e menos previsíveis em uma mesa de jogo do que aquele auto-intitulado Senhor da Latvéria). E – pelo amor de Deus – me arrumem alguém com um pouco mais de atitude e menos fuça de nerd para bancar o Dr. Richards!!!! O que era aquilo, meu santo Kukúlkan?! O cara parecia mais o fugitivo de uma convenção de X-Box do que um cientista! Jéssica Alba NÃO é Susan Storm! Não adianta o tarados de plantão elogiarem o corpo da fulana, poderiam perfeitamente ter colocado alguém naquele papel que parecesse ainda que vagamente com a original e seria (provavelmente) tão ou mais gostosa quanto a Jéssica! E – sinceramente – ela ainda tem que malhar muito, comer mais alface e fazer dezenas de plásticas para – em uma próxima encarnação – assemelhar-se a Sra. Richards. TENHA PACIÊNCIA! Já o Tocha está exato: tão babaca e infantil como ele é nos quadrinhos. Perfeito! Esperava o Coisa um pouco mais... monstruoso, mas tudo bem, não pode-se ter tudo. O Surfista? Bem menos eloqüente que nas HQs. Quem leu as histórias escritas por Stan Lee sabe que ele é o mais filosófico que Heidegger com depressão! Entretanto, para quem esperava uma nova versão do T-1000 ou uma estatueta do Oscar animada, ele provou-se digno de suas origens. Agora, quem REALMENTE botou pra quebrar, foi o Galactus! Não teve pra ninguém! Esse “Tava Tora Até o Talo”! Lastimavelmente o final foi desesperadamente decepcionante! Tudo bem que a solução da equação “Terra x Galactus” nos quadrinhos era impraticável em termos cinematográficos, exigindo um filme de 3 horas e não aquela coisinha de 92 minutos! Agora, o que não tem pé nem cabeça é supor que uma criatura com o nível de poder de Galactus, capaz de engendrar um arauto com a força que detinha o Surfista Prateado, fosse tão facilmente destruída por uma parcela tão ínfima de seu próprio poder! Vamos colocar a coisa da seguinte maneira: não se mata uma baleia usando um dente da mesma... Pode-se, quiçá, feri-la, mas mata-la? Nem o próprio capitão Ahab tentaria uma idiotice dessas! De qualquer forma, foi um bom filme... Nota 7.

Definindo a data

Saudações a todos os que têm coragem de sentar a mesa do Mestre das Trevas e ousar rolar seus dados com ele. Não haverá piedade. Não haverá retorno. Não haverá escapatória. As portas lacrar-se-ão atrás de vós e nunca mais uma viva'alma ouvira vossos nomes outra vez... Nas palavras de um colega: “... deixais aqui a Esperança todos vós que entrais!”. A data, hora e local para "o início dos trabalhos" já estão definidos: 14/07/2007 sáb. - 22:00 h. - em meu reduto. Até lá.

Preparem-se...

Meus amigos e players, preparem-se: voltarei a mestrar nossas saudosas sessões de RPG a partir do próximo mês. Já tenho inclusive uma previsão de data. Embora ainda um tanto quanto ambígua:
15/07/2007 - domingo à tarde (se for AD&D) ou 14/07/2007 - sábado de madrugada (se for TREVAS).
Definição em um próximo post.
Até

Convite

O Quarteto Fantástico estréia sexta-feira, quem quiser acompanhar este humilde escriba em mais esta experimentação cinematográfica embasada no mundo dos quadrinhos é só ligar confirmando. Provavelmente a sala em que iremos será uma do GNC Praia de Belas, horário das 21 ou 22.
Até.

Sugestão

Um local muito interessante para reunir os amigos e colocar os assuntos em dia: Gibi Bar Bruschetteria. Paredes tomadas de HQs, cardápio italiano e um ambiente diferente do usual levaram-me a sugeri-lo como nosso mais provável point de encontros doravante. Quem estiver afim de dar uma olhada, é só apreciar as fotos do local que estão no site do bar, no link acima.
No site há também um pequeno mapa para encontrar o local.
Hasta!

Atualizando...

Atualizando para quem ainda não está sabendo das novidades: a Banca do SID fechou. Após mais de 10 anos consecutivos de trabalho, esforço e dedicação incansáveis em prol da Cultura, Informação e Entretenimento sadio, este que foi durante anos o ponto de encontro de pessoas inteligentes, cultas e bem informadas, encerrou suas atividades. Uma lástima que merece ser devidamente explicada: o fundador e proprietário (eu) achou por bem desbravar novas sendas profissionais: tornou-se funcionário público! Sim, amigos(as), após ser muito bem classificado em um concurso no ano passado, fui convocado, passei pelos testes admissionais e considerado 100% apto. Desta forma, justamente eu, que nunca acreditei em concursos públicos (em minha humilde opinião apenas mais um modo do Estado arrancar-nos dinheiro através da exploração de nossas ilusões...) tornei-me um concursado! Obviamente, que tal escolha não foi fácil, deveras, nem tampouco a de cerrar as portas em definitivo de um negócio que tanta satisfação pessoal, lucros e amigos rendeu-me... Porém, nas palavras um tanto quanto óbvias de alguém, “pra frente é que se anda...”. Foi uma dura escolha, todavia, acredito haver tomado a decisão correta. Haja vista que não poderia manter meus dois trabalhos concomitantemente, que não dispunha de um substituto à altura e como funcionário público não poderia ser ao mesmo tempo empresário; minhas opções definhavam a olhos vistos. O que fazer? Vender! Foi o que fiz... Mais detalhes em um próximo post. Até.

Tudo pronto...

Após alguns ajustes no layout finalmente estou disponibilizando publicamente este blog, espero contar com a presença e a participação de meus estimados amigos e valorosos players.
Para tornar mais interessante este "mural", todos os e-mails que receber responderei através de posts nele.
Só um porém: reservo-me o direito de efetuar correções ortográficas em quaisquer textos inseridos.
Ortográficas, não de conteúdo, friso bem!

Saudações

Saudações Como dentro em breve não mais teremos nosso "point" de encontros da galera, proponho fazer deste local nosso mural de recados. Abraços