Google+ Abril 2009 | A Pirâmide de Kukúlkan

O último reduto onde os Asseclas do CONCLAVE encontram-se...

PIRATAS!!! - Cap. 93

Drake na luneta murmura:
— Pai Nosso que estais no Céu...
— Calma capitão, ainda é muito cedo
para encomendar nossas almas!
Tenta tranquiliza-lo enquanto acende o pavio.
O crepitar do fio parece levar uma eternidade, 
enquanto uma palavra ressoa no ar:
— FOGO!!!!
A bala desenha uma trajetória elíptica.
Sangre a vê aproximar-se claramente
de sua posição e salta para a entrada da coberta!
A bala atinge em cheio a boca do canhão
e impacta a carga dentro dele!
A bojuda arma de ferro explode
com violência destroçando o
convés de castelo do Demônio Maia!
Isso deixa Sangre , muito, muito furioso!!!!
Porém, o bem-sucedido revide de Drake
era apenas o primeiro desafio insolente
a tentar estragar seu dia, tudo o mais iria
piorar em instantes, quando
Zot e Vdekjes (Deus da Morte),
de Murat Rais, surgiu flanqueando
o Golden Hind e disparando seus
canhões no Demônio Maia e no Lealdad!
Pedaços do tombadilho voam por todos
os lados, um dos canhões atingidos  
é projetado, carregando consigo parte
do cordame. Por azar o pirata conhecido
a bordo como “Cabeça-de-Bagre”
(devido aos seus longos bigodes)
tem o pé esquerdo colhido pela laçada
e é arrastado à amurada oposta
caindo ao mar com grande estardalhaço, 
desgraçadamente sendo arrastado
ao fundo do leito oceânico pela maciça
arma de metal! Ao assistir aquela aterradora
cena o Aranha-do-Mar engole em seco e
trata de escalar a bujarrona para pôr-se
a salvo! Onça, Ramirez, Olavídez e
Chuk-Chuk  faziam o que podiam para
retribuir a Drake e seus comparsas os
“presentes”, carregando e disparando
canhões feito loucos!

Imagens piratas... - 092












PIRATAS!!! - Cap. 92

Quando percebeu a aproximação
dos dois vasos de guerra em sua direção,
Drake gelou! Mas o que difere um rufião
qualquer de um homem como o
capitão Francis Drake é a capacidade
de vencer o próprio medo e
transformá-lo no impulso de
seu contra-ataque! E foi o que fez:
tão logo a primeira saraivada
partiu dos canhões rumo ao navio
de Sangre, ordenou ao imediato:
— Moreia! Diga aos homens que mirem 
a bombordo e a boreste!
— Mas, senhor, Sangre irá nos partir
em dois se não revidarmos!
— Acha que não sei, homem? Todavia,
se não assim o fizermos, seremos
destroçados por aqueles tiburónes!
E aponta para o Lealdad e La Fúria Española!
Neste momento Moreia vê a aproximação
das duas naus e percebe algo mais...
— Capitão, assim o faremos, mas
deixe-me usar o canhão de proa!
— O que pretendes?
— Sangre nos alvejou com uma bala
recheada de pólvora, se houver outras
próximas ao canhão de proa dele...
Um sorriso de gentil esperança
ilumina a face do velho inglês...
— Sede rápido, Moreia, se ele
perceber nosso intento...
— Sim, capitão!  
Moreia esgueira-se até o canhão de proa
(quase metade do tamanho daquele
no Demônio Maia), carrega-o e com o
máximo de cuidado ajusta a mira,
algo difícil quando parte do convés
a sua volta pega fogo e o velame
chove em franjas incandescentes
na própria cabeça!
E para piorar o mar estava indócil,
encapelado como uma noiva
abandonada no altar! 
O suor escorria na fronte do imediato,
ele sabia que se errasse o tiro
não teria outra oportunidade e
aquela maldita farpa no ombro 
ardia igual ao fogo do Inferno!

Imagens piratas... - 091










PIRATAS!!! - Cap. 91

A primeira carga do Golden Hind
não atinge completamente o alvo,
meramente uns cinco tiros causam algum dano,
pois a distância ainda era demasiada.
Todavia, os poucos tiros que acertaram
causaram alvoroço e mortes a bordo!
O braço de um pirata caiu aos pés
de Sangre que o chutou por sobre
a amurada, indo alimentar os peixes!
Quando as balas voam do
Demônio Maia rumo ao Golden Hind
o vento também as favorece e mais
uma vez o estrago é grande,
derrubando o mastro de popa!
Navegando a barlavento, o Lealdad
ganha terreno ladeando
Demônio Maia a estibordo.
O imenso galeão comandado por
Alejandro Ladrillero Coronado
Del Lagarra avança com destemor,
singrando as ondas a toda velocidade!
O nobre espanhol embevecido
pela expectativa da glória
tão próxima aparentava não dar
a menor importância a fama de Drake,
tanto que do alto do castelo de proa
ordenava impávido, porém,
as mãos úmidas de suor frio:
— Homens! Todos aos seus postos,
carreguem os canhões e façamos as
boas-vindas ao nobre capitão
Francis Drake!
Neste entretanto, La Fúria Española
cujo capitão era ninguém menos que
Gelmires Rodríguez Guerra Ibargüen
(sobrinho-neto do famoso almirante espanhol...) 
ultrapassava o Demônio Maia
a bombordo com os canhões plenamente
carregados e mirando o Golden Hind.
 O madeirame mais escuro que
o habitual concedia à nau de Gelmires
um aspecto soturno, tanto que
assemelhava-se a um navio-irmão 
do próprio Demônio Maia!

Imagens piratas... - 090













PIRATAS!!! - Cap. 90

Pena que Sangre não esperou pela 
reação do inglês e enquanto 
ordenava a seus subordinados que 
fizessem o mesmo, a escolta espanhola 
acercava-se a estibordo e a bombordo; 
agora mais motivados pelo ataque frontal 
de Sangre, despejaram seus canhões 
nos navios que acompanhavam Drake.
Foi o início de uma batalha que duraria 
mais de quatro horas! 
O barulho ensurdecia os combatentes e 
tornava tudo dependente do instinto e de gestos, 
pois palavras dificilmente eram entendidas. 
A bordo do Demônio Maia, os piratas 
afiavam as lâminas, sedentos de sangue!
Enquanto isso, no Zot e Vdekjes 
(assim como nos demais navios aliados de Drake) 
o sentimento era um misto de surpresa, 
raiva, desespero, medo e conformação.
— Maldito seja Drake! Atraiu-nos a todos 
a um confronto com mais venenoso demônio 
cuspido dos infernos que já navegou os 7 Mares! 
Mas em nome do Todo Poderoso, 
não permitirei que ti apoderes de meu navio 
a menos que arranque minh'alma 
de meu corpo exangue, Sangre! Isso eu juro!
Esbravejava Murat Rais, sacudindo 
desafiadoramente o punho cerrado na direção 
do Demônio Maia!
Reações similares ocorriam nos demais galeões 
aliados do inglês.

Enquanto isso, a algumas milhas do 
teatro de eventos, a escolta de Drake 
avançava rapidamente rumo 
a seu inexorável destino.

Imagens piratas... - 089












PIRATAS!!! - Cap. 89

— Preparem os canhões! Atirem ao ver o 
branco dos olhos deles! 
Ao meu comando, homens! ATÉ A MORTE!!!
Em uníssono toda a tripulação 
do Demônio Maia responde:
— ATÉ A MORTE!!! ATÉ A MORTE!!! 
ATÉ A MORTE!!! 
ATÉ A MORTE!!! ATÉ A MORTE!!! 
ATÉ A MORTE!!!
Os gritos ecoaram até os navios adversários e 
pela primeira vez em muito tempo, Drake 
sentiu o chão gelar sob os seus pés! 
E antes que pudesse dar qualquer comando, 
viu em sua luneta o próprio Sangre 
caminhar até a proa do navio e descortinar 
um gigantesco canhão de sob uma lona e 
acender ele próprio um curto pavio! 
Sangre deu um passo para o lado e sorriu. 
Nesse instante uma explosão ensurdecedora 
ribombou a ponto de ser ouvida em Isla Tortuga
Tamanha fora a força de empuxo 
que empurrou o navio cinco jardas para trás! 
E o projétil, uma imensa esfera metálica 
recheada de pólvora negra prensada, 
atingiu em cheio o Golden Hind, 
causando incêndios, danos estruturais e 
matando quase um quinto de toda 
a tripulação a bordo da nau inglesa!
— Capitão, fomos atingidos de um modo 
que nunca vi antes! Senão reagirmos 
agora mesmo, o próximo tiro nos porá a pique! 
Relata desesperado o imediato Moreia, 
tentando arrancar uma lasca de madeira 
do tamanho de uma lagosta do ombro esquerdo!
— Pois não será hoje que Poseidon 
terá meu navio, Moreia! 
TODOS OS CANHÕES!! FOGO!!!!

Imagens piratas... - 088


A Jolly Roger de Sangre!
Inconfundível...







PIRATAS!!! - Cap. 88

Alguém sussurrou:
— Mau sinal, mau sinal...
Desnecessário comentar o efeito que este 
evento exerceu sobre a tripulação espanhola...
Nesse meio tempo os aliados de Drake 
identificaram a Jolly Roger que tremulava 
no alto do mastro principal do galeão 
que vinha na direção deles com as velas 
plenamente enfunadas. 
E um sussurro percorreu cada boca 
em cada navio pirata que partiu de 
Ciudad Del Carmen:
— É o Demônio Maia! Deus, Pai-Todo-Poderoso, 
nos proteja e vele por nossas almas!!! 
É o Demônio Maia! Estamos todos mortos!!!!! 
MORTOS!!!!!
Em meio a toda essa situação enlouquecedora, 
apenas uma pessoa se mantinha calma e serena, 
como um gélido lago nas montanhas da Escandinávia: 
Sangre.

Aquilo ali, aquele momento, 
foi para isso que ele nasceu isso era a Vida para ele: 
o prenúncio da batalha, o troar dos canhões, 
o terror da abordagem, 
o sanguinário combate corpo a corpo, 
o horror do naufrágio, 
vida e morte em uma dança linda e letal! 
Nunca um homem foi mais 
verdadeiramente feliz e realizado, 
nunca existiu um homem que soubesse 
tão verdadeiramente quem ele 
REALMENTE É
um homem que pudesse afirmar 
sem a menor sombra de dúvida 
que era o Senhor de seu Destino!
Nunca houve um homem como 
Sangre, o PIRATA!

Imagens piratas... - 087





























PIRATAS!!! - Cap. 87

Chuk-Chuk sacara sua imensa espada e 
fazia manobras com ela, 
assustando seus colegas de bordo, 
que mal podiam chegar perto daquela 
monstruosidade de aço, sob pena 
de perderem um braço ou a cabeça! 
Olavídez dispensara a camisa e 
ostentava o musculoso dorso nu, 
com um punhal entre os dentes, 
uma garrucha na mão esquerda 
e um sabre na mão direita. 
O onça estava calmamente sentado em um 
barril, palitando as unhas com um punhal, 
agindo como se nada daquilo tivesse a 
mais remota relação consigo! 
Os demais piratas estavam tensos 
como as cordas de um violino cigano! 
Enquanto isso os navios da escolta 
acompanhavam Sangre a uma distância 
segura, porém, constante. 
Lealdad, do comandante de fragata Lagarra, 
liderava os demais. O olhar apreensivo 
na luneta, denunciava seu conhecimento: 
o inimigo a sua frente era Drake e 
muito "mal" acompanhado por sinal! 
Cada nau adversária aparentava estar 
plenamente armada com dezenas de canhões 
e sanguinários flibusteiros! 
Uma gota de suor frio escorreu pela fronte 
do comandante e umedeceu-lhe as suíças...
Os marinheiros a bordo tentavam manter 
a fleuma, mas ante as circunstâncias 
isso era assaz difícil! Alguns tiros foram 
disparados quando tentaram descer um escaler 
no intuito de uma desesperada deserção! 
O escaler terminou ao mar 
com dois cadáveres a bordo... 
Quando o pequeno bote chocou-se com 
a outra nau que seguia ao largo e 
os corpos foram ao mar, os marinheiros 
do Dominacion assistiram apavorados 
os tubarões devorá-los em segundos!

Imagens piratas... - 086












PIRATAS!!! - Cap. 86

Era uma aposta arriscada, 
caso a escolta se desencontrasse 
com o Golden Hind, Drake só poderia contar 
com seus novos (e pouco confiáveis) aliados.
Francis Drake mal podia conter-se de 
ansiedade e satisfação. 
A hora de Sangre aproximava-se e 
desta vez a vitória não lhe escaparia!

Contudo, nem o mais brilhante estrategista 
seria capaz de prever o resultado daquela batalha 
que ora anunciava-se. 
Tanto Sangre como Drake estavam dispostos 
a tudo para atingirem seus objetivos. 
Os demais capitães eram homens (e mulheres) 
experientes nas artes da guerra náutica. 
Todos plenamente preparados para o que estava porvir...
Apenas uma pessoa (talvez) possa antever 
o desfecho do inevitável embate: Jack...

Em uma manhã nublada deu-se o fatídico encontro: 
de um lado Sangre e sua escolta, 
do outro Francis Drake e seus aliados.
Difícil dizer quem percebeu a quem antes, 
todavia, ficou claro quem 
deu o primeiro movimento: 
Sangre gira o leme a bombordo e muda curso 
diretamente rumo a seus adversários! 
Uma ousadia como poucas vezes se viu! 
Um louco? 
Um vilão? 
Um demônio? 
Nunca saberemos. 
Contando um bom vento de popa, o Demônio Maia 
navegava com todas as velas abertas 
no máximo de sua velocidade! 
A bordo, os marinheiros pulavam 
como pulgas no lombo de um cavalo xucro! 
Puxando cordas, amarrando cargas, 
abastecendo e carregando canhões e garruchas.
Ramirez já salivava de ansiedade, 
Cervantes empoleirado nos cordames 
já antecipava em sua mente a abordagem!

Imagens piratas... - 085









O Goose Fiáin (Ganso Selvagem), de Grace O'Malleyy


O Trail-Blazer (Desbravador), de Sir James Lancaster.


O Zot e Vdekjes (Deus da Morte), de Murat Rais.


E o Berserker (Fúria Incontrolável), de Ivan Dirkie De Veenboer.


PIRATAS!!! - Cap. 85

— Uma confusão no píer: os marinheiros 
de Lancaster quebraram o pau com 
os da nau de Murat!
— Mas por que cargas d’água esses 
cabeças-de-sardinha querem se matar?
— Pelo pouco que entendi; algo haver 
com um barril de rum roubado...
— Oh, my God! Que escumalha!
— Mas apesar desse contratempo estaremos 
prontos para partir com a maré, capitão!
A face de Drake apazígua-se, ele dá de ombros 
e dirigindo-se a sua cabina diz:
— Estarei conferindo nossa rota nos mapas, 
se outro incidente do tipo acontecer, 
quero ser informado imediatamente.
— Sim, capitão.
Porém, a sorte sorria para o velho pirata inglês: 
o navio estava desatracando um quarto de hora 
antes da maré, abastecido e bem municiado, 
acompanhado pelas naus de seus cúmplices:
Goose Fiáin (Ganso Selvagem), de Grace O'Malleyy.
O Trail-Blazer (Desbravador), de Sir James Lancaster.
Zot e Vdekjes (Deus da Morte), de Murat Rais.
E o Berserker (Fúria Incontrolável)
de Ivan Dirkie De Veenboer.
O pirata inglês contava com um escolta 
de mais quatro galeões, que deixara 
ancorados em uma ilha próxima ao continente 
com instruções para virem a seu encontro 
em quatro dias. 
Não seria prudente chegar 
Ciudad Del Carmen acompanhado de 
quatro vasos de guerra ingleses...
O velho corsário da Rainha não tinha 
como prever exatamente onde iria defrontar-se 
com Sangre, porém, conhecia as rotas, 
ventos e correntes daquela região como poucos, 
de modo que tinha uma ideia da região 
mais provável.